Saia na frente com o Curso de Segurança para Grandes Eventos da Hunter´s

No próximo dia 14 de maio, o UFC chegará a Curitiba após anos de espera dos fãs paranaenses. Existem três motivos que explicam a escolha da cidade, cuja relação com eventos e esportes de luta ganhou força no fim da década de 70, quando Nelio Naja introduziu o muay thai no país.

Teto retrátil

Pós Copa do Mundo, o Brasil ganhou diversas arenas modernas. A grande maioria, elefantes brancos. Em tese, qualquer um deles poderia receber o show. A clara vantagem da Arena da Baixada (ou Estádio Atlético Paranaense, como quer o presidente Mario Celso Petraglia) está na cobertura total.

“São milhões de doláres em equipamentos, o evento é transmitido para mais de 150 países, 900 milhões de pessoas vão assistir. Então não dá para ter 1% de riso de chuva”, explica o presidente do UFC no Brasil, Giovani Decker.

Ou seja, não fosse a ‘tampa do caldeirão’, já que a cidade não tem nenhuma outra alternativa para receber um evento deste porte, Curitiba permaneceria fora do circuito.

Diversificação

Veja a lista abaixo, que contém as cidades brasileiras que já receberam o UFC desde 2011.

– Rio de Janeiro (7) – São Paulo (4) – Goiânia (2) – Belo Horizonte (2) – Jaraguá do Sul (2) – Barueri (2) – Natal (1) – Fortaleza (1) – Porto Alegre (1) – Uberlândia (1)

Quase metade dos eventos aconteceram no Eixo Rio-São Paulo. E as lutas realmente importantes, com disputa de cinturão, somente foram vistas no Rio. Situação que vai mudar em breve.

“Honestamente nosso plano não era que todas as disputas fossem no Rio. Será a primeira vez que teremos uma luta dessa importância em outro lugar. Era preciso ampliar. Curitiba, por toda história de ídolos formou, que respira luta, veio a calhar”, acredita Decker.00

Estrutura

Além dos pontos citados acima, o UFC demanda uma grande estrutura hoteleira da sede de seus eventos. Sem contar facilidade de acessos por terra e ar.

Nas duas vezes em que foi a Jaraguá do Sul, por exemplo, além de lotar os leitos da cidade de 140 mil habitantes, também ocupou boa parte dos hotéis da região, principalmente Joinville, onde fica o aeroporto mais próximo. Isso, em um evento para somente 9,5 mil pessoas.

Em Curitiba não haverá esse problema. A cidade tem locais suficientes para receber os fãs, como mostraram os quatro jogos da Copa na capital. O público deve ser levemente maior, já que a estimativa é colocar à venda entre 45 mil e 48 mil ingressos.

Curso de Segurança para Grandes Eventos

Como os profissionais da área de segurança já sabem, a Polícia Federal passou a exigir um curso de extensão de 50 horas para vigilantes que queiram trabalhar em grandes eventos. Mas o que vem a ser um “grande evento”?

Segundo a portaria 3233 da PF, Art. 19:

“A atividade de vigilância patrimonial em grandes eventos, assim considerados aqueles realizados em estádios, ginásios ou outros eventos com público superior a três mil pessoas deverão ser prestadas por vigilantes especialmente habilitados.”

Observe que qualquer evento com público superior a 3 mil pessoas é considerado “grande”. Ou seja: jogos de futebol, shows, feiras, eventos culturais, esportivos e a lista não acaba mais. São muitas oportunidades e apenas os vigilantes que possuem o curso, poderão ser contratados nesses casos.

Na Hunter´s você terá acesso a toda estrutura que necessita para atuar em eventos como UFC, Olimpíadas e muito mais! Aqui você estudará o papel do Vigilante na estrutura de segurança em recintos de grandes eventos, além de noções de gestão de multidões e manutenção de um ambiente seguro, como atuar com controles de acesso, além de resoluções de situações de emergência.

Saiba mais no link abaixo e atualize-se! O mercado busca pelos melhores, não fique para trás! http://www.escolahunters.com.br/seguranca-para-grandes-eventos/

Fonte: Gazeta do Povo